Mostra de Arte de São Francisco Xavier envolve as mais diversas formas de expressões artísticas

MAC-SFX 2017 (Mostra de Arte e Cultura de São Francisco Xavier 2017) começa neste sábado (1) e segue até o final do mês de julho no distrito de São José dos Campos, interior de São Paulo. A mostra, que acontece a cada dois anos, tem como objetivo despertar na comunidade a importância da preservação do patrimônio histórico, cultural e artístico do distrito. A edição deste ano conta com verba do Fundo Municipal de Cultura, da Fundação Cultural Cassiano Ricardo e da Prefeitura Municipal de São José dos Campos.

A exposição de obras será mais uma oportunidade para valorizar o trabalho dos artistas locais. João Manccini é um dos exemplos. Ele participa do grupo Usina 14 e já realizou diversas exposições individuais e coletivas, em salões e bienais no estado de São Paulo e é dono de alguns dos principais prêmios da área. Manccini desenvolve projetos nas técnicas de desenho, pintura, escultura, objetos, colagem e vídeo instalação. 

Outro artista que estará na MAC-SFX 2017 é Roberto Pitella. Artista visual, ele faz imagens a partir de fotografias. A memória, o desejo, as dores e delicadezas da vida são seus principais projetos de criação.  

Quem também estará na exposição é Carlos Eduardo Finochio, profissional cuja obra se concretiza a partir de um processo de diálogo com a tela, ainda em branco, onde as cores e formas são compostas com total espontaneidade. 

Friederike Mundt também irá expor seu trabalho. Nascida na Alemanha, Fried, como é conhecida na cidade, expressa sua arte com técnicas variadas. O seu trabalho se aproxima do expressionismo abstrato. 

Christel Runte também é uma artista que nasceu na Alemanha e fez de São Francisco Xavier sua casa. Sua arte é a fotografia de forma lúdica, tendo passado por várias fases distintas, quase sempre com interferências digitais. No trabalho que será apresentado naMAC 2017, ela retornou à fotografia quase sem pós-tratamento, “imagens que marcam a presença indelével da nossa passagem”. 

Lalau Stefan Patay, húngaro, fotografa profissionalmente desde 1962. Autodidata, ele já trabalhou em laboratório fotográfico, cinematográfico e audiovisual. Já atuou no mercado institucional, comercial e industrial. Na MAC-SFX 2017 Patay vai mostrar trabalhos que usaram a técnica “pinhole”. 

A exemplo da edição de 2015, quando participaram 78 artistas, as seis salas do Casarão da Fazenda da Prefeitura de São José dos Campos, um dos poucos, senão o único modelo da arquitetura dos anos 1920, irá abrigar as obras durante o mês de julho. A exposição será aberta ao público gratuitamente, de quinta a segunda-feira, das 10h às 18h. A comunidade da área urbana e rural também poderá desfrutar de visitas guiadas.

“A mostra pretende, entre outras ‘provocações’, incentivar o resgate das tradições emesclar jovens talentos a artistas profissionais. A ideia é estimular e aprimorar os trabalhos para promover a inclusão social e cultural dos moradores”, diz Fátima Gilberti, diretora geral da MAC-SFX

Filmes
Mostra de Arte e Cultura também vai exibir alguns filmes – ao todo serão seis, divididos entre longas e curtas metragens. Um deles será “Mil Carolinas, um Brasil”, de Carol Lobo, Mayara Ramos e Beth Costa, que retrata pessoas do Vale do Paraíba que vivem em situações extremas, como fome, preconceito racial e sexual. O filme será exibido em duas ocasiões: nos dias 14 e 28 de julho, às 18h30. 

Fome”, com direção de Cristiano Burlan será outro longa na MAC-SFX 2017. Ele conta a história de um homem que abandona o seu passado para viver na invisibilidade de São Paulo. “Fome”, que será exibido dia 21 de julho, às 20h, conquistou prêmio de Melhor Filme, Direção, Fotografia e Ator para Jean-Claude Bernardet no 7º Festival Internacional de Cinema da Fronteira. 

Mataram Meu Irmão”, outro filme de Cristiano Burlan, também será exibido na MAC-SFX 2017. Vencedor do festival “É Tudo Verdade 2013” com os prêmios de Melhor Filme do Júri Oficial e da Crítica, ele discute a violência que se faz presente nos bairros da periferia de São Paulo.

 

Já na sessão de curtas, o destaque é “Irene”, que mostra uma senhora solitária que vive reclusa numa casa de campo. Quando sua neta Nanda decide aparecer inesperadamente para uma visita, junto com sua amiga Ana, a reclusão de Irene é perturbada e ela começa a reviver sentimentos que pareciam estar esquecidos.

 

Também serão exibidos outros curtas – “Submundo – Sinédoque de Metalepse”, dirigido por Daniel Mazini, e “À Espera”, de Nivaldo Vasconcelos. Os dias e horários da exibição dos filmes podem ser conferidos na página da MAC-SFX no Facebook (@MACSFX).

 

Outras atrações

Além da exposição e da exibição de filmes, a MAC-SFX 2017 também vai apresentar uma peça de teatro. “Deliciosa Insensatez” é uma comédia de costumes contemporâneos, com esquetes que retratam situações hilárias do dia a dia comentados e costurados por sons e música ao vivo. O objetivo da comédia, que será apresentada dia 7 de julho, às 19h, e no dia 16 de julho às 16h30, é fazer com que o público se identifique com as situações apresentadas, e perceba por meio do humor a insensatez que está por trás de várias ações que realizadas habitualmente no cotidiano. 

Já o documentário “Guerra da Independência na Bahia” detalha os conflitos ocorridos na região entre portugueses e brasileiros, que tiveram seu desfecho no dia 2 de julho de 1823 com vitória brasileira e ruptura política entre os dois países. O documentário, que será exibido dia 22 de julho, às 15h, tem narração da atriz Zezé Motta.

Inscreva-se

Nossos colunistas

460 POSTS

Colunas

Artigos populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui