Será que você está protegendo sua pele do Sol corretamente?

A evolução contínua da indústria cosmética facilita o acesso a novos produtos, mas o segredo é saber quais e como usar. Dermatologista fala tudo sobre proteção solar e cuidados com a pele

Já faz tempo que o protetor solar ganhou espaço nas “necessaires” femininas. Mesmo assim, as novidades e descobertas da indústria exigem uma renovação de aprendizado constante, para seguir a evolução dos produtos. A Dra. Viviane Scarpa, Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), aborda o que há de mais importante agora para manter a pele protegida do sol e usufruindo de todos os benefícios cosméticos que os protetores atuais têm a oferecer.

“A proteção solar é essencial para nos proteger dos raios solares que, sabidamente, são a principal causa do câncer de pele, e também da luz de aparelhos eletrônicos e lâmpadas. Junto com os raios solares, elas são responsáveis pelo aparecimento de manchas e pelo envelhecimento precoce”, resume a médica.

Texturas ideais para cada pessoa – Nas mais variadas formas de apresentação, hoje os protetores atendem a uma gama vasta de tipos de pele e suas preferências. Gel, gel-creme, loção e creme, para escolher conforme o tipo de pele. “Podemos personalizar a prescrição do filtro solar para cada tipo de pele e para cada patologia que o paciente apresenta”, reforça ela. Outra vantagem que a Dra. Viviane percebe na evolução dos filtros solares é a proteção contra os raios UVA. “Antigamente nem existia e, agora, é obrigatória para os filtros solares vendidos no Brasil”, informa a dermatologista.

A proteção extra da cor – Os filtros solares com cor e vários tons diferentes, além dos que se adaptam ao tom de pele também são uma evolução a destacar nesse segmento. “Já que sabemos que os filtros solares com cor protegem mais que os sem cor”, informa a Dra. Viviane.

Proteção solar e muito mais – “Muitos filtros, hoje, possuem outros ativos na composição, como antioxidantes, clareadores e ativos que tratam queratoses actínicas (lesões pré-malignas)”, indica a dermatologista.

Existe fator ideal para cada tipo de pele?

Dra. Viviane enfatiza que todos os tipos de pele precisam de proteção solar, mesmo que o fator varie. “Quanto mais clara a pele, maior deve ser a proteção”, resume a médica, ao indicar dessa forma:

  • Pele clara e muito clara: FPS 50 e PPD +++
  • Pele morena clara: FPS 40 PPD ++/+++
  • Pele morena escura: FPS 30 PPD +/++
  • Pele negra: FPS 30 PPD +

O Sol e os problemas de pele

A luz solar, segundo a dermatologista, pode ser tanto o fator desencadeante, como fator de piora de lesões como melasmas e manchas. “O melanócito é a célula que produz melanina, que dá a coloração acastanhada do melasma e das manchas. Este melanócito está presente na camada mais inferior da epiderme e é estimulado a produzir mais pigmento quando a pele é exposta ao Sol, como um mecanismo de defesa para proteger o núcleo das nossas células. Quanto mais melanina uma pele tem, mais proteção contra o sol essa pele terá”, explica.

Nesse contexto, a Dra. Viviane alerta que a proteção contra o Sol em quem tem essas condições deve ser ampliada. “Os cuidados devem envolver a proteção solar tópica, com filtros solares de preferência com cor e fator acima de 50, com reaplicação ao longo do dia. Além disso, evitar os horários em que a radiação solar é mais intensa, entre 10h e 16h”, recomenda a especialista, adicionando o uso de chapéus ou boné com fator e proteção como uma prática importante nesses casos.

A quem se pergunta se a proteção solar defende a pele contra o aparecimento de manchas e melasmas, a Dra. Viviane diz que sim, desde que essa proteção seja a soma de filtro solar reaplicado ao longo do dia, não exposição nos horários de pico de sol e uso de chapéus e bonés com fator de proteção. “Para essa prevenção, o melhor é escolher os filtros com cor e com fator de proteção acima de 50”, indica.

Como hidratar a pele devidamente?

A pele é o maior órgão do corpo e, por estar em contato com o meio externo, sofre com os dias mais quentes e secos”, lembra a dermatologista, ao associar uma pele mais seca à possibilidade de aparecimento de coceira (também chamado de prurido) ou de eczemas e, ainda, a piora em quadros de dermatite atópica.

Para evitar situações assim, a Dra. Viviane reforça a dose diária de ingestão de água de 35 ml por Kg por dia. “Outras ações que ajudam são: banhos mornos e rápidos, não usar buchas, dar preferência para sabonete syndets, que tiram menos gordura da pele e sempre passar hidratantes logo após o banho, pois neste momento a absorção do produto é maior”, lista ela.

A alimentação como cuidado para a pele

Uma dieta rica em frutas, legumes e verduras é a indicação da Dra. Viviane para complementar o cuidado com a pele. Além disso, evitar frituras e alimentos com alto teor de açúcar também somam para uma pele bem tratada. “Sabemos, hoje, que uma dieta rica em açúcar leva ao envelhecimento precoce que uma dieta rica em antioxidantes melhora o melasma e auxilia na prevenção desse envelhecimento”, ressalta a médica, acrescentando que acertar na dose diária de proteínas também responde pela produção do colágeno na pele, que é uma proteína.

Fonte: Dra. Viviane Scarpa CRM 118.129-SP | RQE 30.536

Inscreva-se

Nossos colunistas

460 POSTS

Colunas

Artigos populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui