A vez dos centenários

Talvez você nunca tenha pensado em chegar lá, mas, os 100 anos são os novos 80

Por Natália D´Ornellas

Os números não mentem. Em 2022 o Brasil tinha 37,8 mil centenários, cerca de 13 mil a mais do que o registrado em 2010. Os dados constam de estudo feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a partir do Censo realizado ano passado.

A Bahia lidera o ranking, com a maior concentração de pessoas longevas, e os estados de São Paulo e Minas Gerais vêm em segundo e terceiro lugares. O Sul do país, que tem no Rio Grande do Sul o estado com maior proporção de idosos do Brasil, reúne 3.502 centenários, ou seja, é um bom lugar para se viver muito e um ótimo destino para uma boa viagem de lazer também.

Para quem é chegado nas estatísticas, temos mais: há mais pessoas acima de 60 anos no Brasil do que crianças até cinco anos de idade. No Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, há mais pessoas acima de 60 do que adolescentes de até 14 anos, e a previsão é de que em 2050, nosso País seja o sexto mais velho e estará na frente de todos os outros países em desenvolvimento.

O que antes parecia matéria sensacionalista do Fantástico está se confirmando na vida real. No Twitter (oops X), a espanhola Maria Branyas Morera, de 116, afirma que é “velha, muito velha, porém não é idiota” e posta frases impagáveis. Aqui no Brasil, Dona Zilda, de 104 (que vive em BH), toma seus banhos de sol diários, também reproduzidos nas redes sociais. Nascida em Brejão, Pernambuco, a vovó Kika, de 101, curte a vida adoidado com as netas que a vida lhe deu. Sim, ela também está no Instagram, um lugar onde muitos desses velhos (para mim, “velho” não é xingamento) encontraram uma janela para verem e serem vistos, a partir da pandemia. Os exemplos são vários, mas vou parar na paranaense Iris K. Bigarella, 99, que tão certa de sua viagem rumo aos 100, escreveu, há dois anos, o livro “Chegando Feliz aos 100 Anos”.

Dona Zilda, 104 anos (Foto: Vania Cardoso)

Muitas são as rotas para chegar a esse destino que virou um sonho de consumo. Ter uma boa rede de afeto, manter-se em movimento, ter vontade de aprender coisas novas, comer bem, tomar uma tacinha de vinho diariamente, descansar a mente e o corpo, cuidar também da saúde financeira e ter fé são recomendações que fazem parte da cartilha das Blue Zones, 5 regiões do mundo que concentram a maior população centenária do mundo.

Não, Copacabana não faz parte da lista, mas estou certa de que você terá prazer em viajar para todos esses hotspots “azuis”. São eles: Ikaria (Grécia), Okinawa (Japão), Loma Linda (Califórnia), Sardenha (Itália), e Nikoya (Costa Rica). Aliás, o assunto ficou tão hot que ganhou uma série na Netflix: “Como Viver até os 100: Os Segredos das Zonas Azuis”.

Se interessou? Então, prepare-se para viajar para a casa das centenas! Segundo o “The Economist”, há quem diga que já nasceram as pessoas que chegarão aos 120 anos. Acredite!

Com meu pai, fonte de inspiração da minha jornada com a longevidade (Foto: @lutterbachfotografia)
Natália D´Ornellas é militante da “Bela Velhice”, publicitária, jornalista e criadora dos podcasts: #conversadevo e #asperennials 
Intagram: @nataliadornellas

Inscreva-se

Nossos colunistas

456 POSTS

Colunas

Conheça dicas fáceis para uma rotina de hábitos mais saudáveis

Comece 2024 cuidando do seu bem-estar sem sair de...

Que tal começar o ano com hábitos saudáveis?

Dra. Mariela Silveira, diretora médica do Kurotel, fala sobre...

Descubra os poderes do Cranberry para saúde

Neste momento, uma imensa luta está se travando por...

Artigos populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui