Turismo na terceira idade: o melhor momento da vida para viajar requer segurança e cuidados especiais

O Brasil está envelhecendo rapidamente: segundo dados do Censo 2022, do IBGE, a população com 65 anos ou mais cresceu quase 60% em um período de 12 anos. São cerca de 22 milhões de pessoas nessa faixa etária – uma parcela que representa 11% do total de brasileiros. À medida que as pessoas vivem mais e mantêm uma saúde melhor por mais tempo, elas também procuram maneiras de aproveitar a vida ao máximo, e o turismo apresenta-se como uma oportunidade valiosa para isso.

Pesquisa da Booking.com revelou que 77% dos brasileiros com 60 anos ou mais enxergam nas viagens a melhor forma para aproveitar o tempo livre da aposentadoria. Neste cenário, os idosos representam um público com grande potencial para o turismo, mas simultaneamente exigem do setor uma adaptação para melhor atender às necessidades específicas desses turistas, os quais possuem expectativas e desejos diferentes de pessoas mais jovens quando o assunto são viagens.

Atendimento personalizado: o “cara a cara” ainda é importante

Segundo Joselia Gärtner De Freitas, Diretora Comercial à frente da Turismo DKlassen, mesmo com toda a facilidade proporcionada pela internet, o público mais velho, muitas vezes, ainda possui receio e dificuldades em adquirir serviços de forma online e, por isso, o atendimento presencial ainda é relevante:

“Nós possuímos muitos clientes fiéis de longa data, que sempre buscaram os nossos serviços da maneira tradicional, indo até os nossos estabelecimentos físicos. Muitos preferem já sair da agência com a passagem em mãos, ao invés de receber no celular, por exemplo”, ressalta. “Continuar oferecendo esse atendimento é uma prioridade para nós. Acreditamos que assim conseguimos criar um vínculo maior com esses clientes e, por isso, estamos continuamente capacitando nossos profissionais e nossa estrutura para melhor atender esse público”.

Com mais de 40 anos de experiência, a DKlassen é uma agência tradicional no mercado e que, embora seja completamente digitalizada, com o uso das tecnologias mais avançadas disponíveis no setor, não abre mão de canais mais tradicionais para oferecer o atendimento personalizado para cada tipo de turista. Ainda segundo Joselia, a utilização do Facebook é uma outra forma de se comunicar de maneira mais assertiva com a terceira idade, visto que a população idosa ainda está muito presente nesta rede, ao passo que os mais jovens preferem o Instagram, por exemplo.

Roteiro adequado

Uma das principais características do turismo na terceira idade é a busca por experiências de viagem mais significativas e enriquecedoras. Muitos idosos estão interessados em viagens que ofereçam não apenas entretenimento, mas também oportunidades de aprendizado, imersão cultural e contato com a natureza. Por isso, é necessário entender bem as expectativas desses turistas para planejar a melhor experiência de viagem.

De acordo com Joselia, a preferência desse público é tanto por viagens nacionais como internacionais: “O turismo na terceira idade frequentemente envolve uma abordagem mais relaxada e flexível em relação ao tempo e ao itinerário. Os idosos geralmente têm a liberdade de viajar durante a baixa temporada, evitando multidões e aproveitando preços mais acessíveis. No Brasil, Águas de Lindóia (SP) e Monte Verde (MG) são dois destinos com grande procura, assim como as praias mais calmas no Sul do país. No exterior, a Europa é destaque, com Itália e Portugal, por exemplo, sendo alguns dos destinos preferidos”, destaca.

Além disso, os cruzeiros, que têm se tornado uma tendência no setor, junto com as excursões em grupos, também são opções interessantes para os idosos, visto que fomentam a socialização. “Viajar é uma oportunidade incrível de fortalecer laços familiares e sociais. As viagens em grupo, seja com amigos ou familiares, proporcionam momentos de convívio e compartilhamento de experiências que contribuem para o bem-estar emocional e social de todos nós, mas especialmente de idosos, que muitas vezes podem se sentir sozinhos nessa fase da vida”, ressalta Joselia.

Segurança é fator indispensável

Por fim, mas não menos importante, garantir a segurança e o bem-estar é requisito indispensável para o turismo na terceira idade, especialmente no caso de idosos que viajam sozinhos. Para tanto, inclusão e acessibilidade são características que devem ser analisadas em todas as etapas do roteiro, desde o transporte até a hospedagem. Da mesma forma, o seguro viagem é outro fator que deve ser contemplado no planejamento.

Neste momento, contar com uma agência de viagens capacitada é o grande diferencial para garantir maior segurança na viagem. Ao identificar as necessidades específicas do turista, o agente de viagens pode oferecer destinos e atividades que ofereçam infraestrutura adaptada, opções de transporte acessível e cuidados médicos adequados, além do seguro viagem e da garantia de um suporte integral no caso de imprevistos.

“O turismo na terceira idade é uma oportunidade valiosa para os idosos explorarem novos lugares, culturas e experiências, promovendo o bem-estar físico, emocional e social. Muitos esperaram e batalharam a vida toda para realizar a viagem dos sonhos. Com um planejamento cuidadoso e uma abordagem consciente das necessidades individuais, as viagens na terceira idade podem se tornar momentos inesquecíveis”, finaliza Joselia.

 

Crédito foto:

 Imagem: Vidar Nordli-Mathisen/Unsplash

 

O Brasil está envelhecendo rapidamente: segundo dados do Censo 2022, do IBGE, a população com 65 anos ou mais cresceu quase 60% em um período de 12 anos. São cerca de 22 milhões de pessoas nessa faixa etária – uma parcela que representa 11% do total de brasileiros. À medida que as pessoas vivem mais e mantêm uma saúde melhor por mais tempo, elas também procuram maneiras de aproveitar a vida ao máximo, e o turismo apresenta-se como uma oportunidade valiosa para isso.

 

Pesquisa da Booking.com revelou que 77% dos brasileiros com 60 anos ou mais enxergam nas viagens a melhor forma para aproveitar o tempo livre da aposentadoria. Neste cenário, os idosos representam um público com grande potencial para o turismo, mas simultaneamente exigem do setor uma adaptação para melhor atender às necessidades específicas desses turistas, os quais possuem expectativas e desejos diferentes de pessoas mais jovens quando o assunto são viagens.

 

Atendimento personalizado: o “cara a cara” ainda é importante

Segundo Joselia Gärtner De Freitas, Diretora Comercial à frente da Turismo DKlassen, mesmo com toda a facilidade proporcionada pela internet, o público mais velho, muitas vezes, ainda possui receio e dificuldades em adquirir serviços de forma online e, por isso, o atendimento presencial ainda é relevante:

 

“Nós possuímos muitos clientes fiéis de longa data, que sempre buscaram os nossos serviços da maneira tradicional, indo até os nossos estabelecimentos físicos. Muitos preferem já sair da agência com a passagem em mãos, ao invés de receber no celular, por exemplo”, ressalta. “Continuar oferecendo esse atendimento é uma prioridade para nós. Acreditamos que assim conseguimos criar um vínculo maior com esses clientes e, por isso, estamos continuamente capacitando nossos profissionais e nossa estrutura para melhor atender esse público”.

 

Com mais de 40 anos de experiência, a DKlassen é uma agência tradicional no mercado e que, embora seja completamente digitalizada, com o uso das tecnologias mais avançadas disponíveis no setor, não abre mão de canais mais tradicionais para oferecer o atendimento personalizado para cada tipo de turista. Ainda segundo Joselia, a utilização do Facebook é uma outra forma de se comunicar de maneira mais assertiva com a terceira idade, visto que a população idosa ainda está muito presente nesta rede, ao passo que os mais jovens preferem o Instagram, por exemplo.

 

Roteiro adequado

Uma das principais características do turismo na terceira idade é a busca por experiências de viagem mais significativas e enriquecedoras. Muitos idosos estão interessados em viagens que ofereçam não apenas entretenimento, mas também oportunidades de aprendizado, imersão cultural e contato com a natureza. Por isso, é necessário entender bem as expectativas desses turistas para planejar a melhor experiência de viagem.

 

De acordo com Joselia, a preferência desse público é tanto por viagens nacionais como internacionais: “O turismo na terceira idade frequentemente envolve uma abordagem mais relaxada e flexível em relação ao tempo e ao itinerário. Os idosos geralmente têm a liberdade de viajar durante a baixa temporada, evitando multidões e aproveitando preços mais acessíveis. No Brasil, Águas de Lindóia (SP) e Monte Verde (MG) são dois destinos com grande procura, assim como as praias mais calmas no Sul do país. No exterior, a Europa é destaque, com Itália e Portugal, por exemplo, sendo alguns dos destinos preferidos”, destaca.

 

Além disso, os cruzeiros, que têm se tornado uma tendência no setor, junto com as excursões em grupos, também são opções interessantes para os idosos, visto que fomentam a socialização. “Viajar é uma oportunidade incrível de fortalecer laços familiares e sociais. As viagens em grupo, seja com amigos ou familiares, proporcionam momentos de convívio e compartilhamento de experiências que contribuem para o bem-estar emocional e social de todos nós, mas especialmente de idosos, que muitas vezes podem se sentir sozinhos nessa fase da vida”, ressalta Joselia.

 

Segurança é fator indispensável

Por fim, mas não menos importante, garantir a segurança e o bem-estar é requisito indispensável para o turismo na terceira idade, especialmente no caso de idosos que viajam sozinhos. Para tanto, inclusão e acessibilidade são características que devem ser analisadas em todas as etapas do roteiro, desde o transporte até a hospedagem. Da mesma forma, o seguro viagem é outro fator que deve ser contemplado no planejamento.

 

Neste momento, contar com uma agência de viagens capacitada é o grande diferencial para garantir maior segurança na viagem. Ao identificar as necessidades específicas do turista, o agente de viagens pode oferecer destinos e atividades que ofereçam infraestrutura adaptada, opções de transporte acessível e cuidados médicos adequados, além do seguro viagem e da garantia de um suporte integral no caso de imprevistos.

“O turismo na terceira idade é uma oportunidade valiosa para os idosos explorarem novos lugares, culturas e experiências, promovendo o bem-estar físico, emocional e social. Muitos esperaram e batalharam a vida toda para realizar a viagem dos sonhos. Com um planejamento cuidadoso e uma abordagem consciente das necessidades individuais, as viagens na terceira idade podem se tornar momentos inesquecíveis”, finaliza Joselia.

 

Crédito Foto: Vidar Nordli-Mathisen/Unsplash

 

 

Inscreva-se

Nossos colunistas

456 POSTS

Colunas

Alerta sobre a importância de adotar uma dieta alimentar saudável

Recomendações da OMS destacam que a população deve consumir...

Vital Card lança seguro para viagens terrestres na América Latina

As viagens rodoviárias ganharam força durante a pandemia e...

Artigos populares

Norwegian Cruise Line lança temporada Europa

A Norwegian Cruise Line (NCL), inovadora em viagens de cruzeiro global...

Forte de São João em Bertioga, terá projeto de acessibilidade.

O Forte São João de Bertioga, que até o século...

De olho na saúde: como identificar problemas urinários nos pets?

Dentre as diferentes afecções que podem acometer os gatos...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui