Entenda a diferença entre a tristeza e a depressão

Cerca de 19 milhões de brasileiros são depressivos, de acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS).

O que significa ter saúde mental? Vivemos numa era tão estereotipada e cheia de avatares, que muitos nem sabem mais o filtro da realidade.  Infelizmente, nas rodas de conversas é difícil não escutar os termos burnout, TDHA, TOC, etc.

Cenário: O Brasil tem maior número de pessoas ansiosas e depressivas da América Latina, isto é, cerca de 10% da população mundial sofre com transtornos mentais e nosso país aproximadamente 19 milhões de brasileiros estão nessas condições, de acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS).

Dra. Maria Fernanda Caliani, psiquiatra, explica as diferenças entre tristeza e depressão e dá dicas valiosas para pessoas e familiares que estão passando por essa fase tão difícil.

“A tristeza é uma emoção humana natural e comum a todos nós. Ela é uma resposta a situações difíceis, como perdas, decepções ou desafios. É temporária e, geralmente, perde espaço para outros sentimentos com o tempo. Experimentar a tristeza é saudável e faz parte da vida. Já a depressão é uma condição médica mais complexa, pois vai além da tristeza comum, sendo caracterizada por uma sensação persistente de desânimo, desesperança e falta de interesse pelas atividades antes prazerosas. Inclusive, interfere significativamente na vida diária, afetando o sono, o apetite, a concentração e a energia. E pode ser acompanhada por sintomas físicos, como dores inexplicáveis”, ressalta Dra. Maria Fernanda.

Para a especialista em saúde mental, a chave para distinguir tristeza da depressão está na intensidade, duração e impacto na qualidade de vida. Enquanto a tristeza é uma resposta emocional compreensível e passageira, a depressão é uma condição de saúde mental que requer atenção médica.



Mas quando buscar ajuda profissional?

Dra. Maria Fernanda esclarece que a hora certa de buscar um psiquiatra é quando os sintomas começam a atrapalhar os relacionamentos pessoais, as atividades corriqueiras e profissionais. É quando a pessoa percebe que não vai dar conta, que está começando a ter um gasto de energia considerável.

“Qualquer indivíduo pode ser acometido por transtornos mentais que o levam a situações dramáticas que o impedem de viver uma vida normal. Por isso, é muito importante buscarmos o equilíbrio de nossa mente e corpo, incluindo nossos sentimentos e emoções. Como lidamos com essas emoções é o que determina como está a qualidade da nossa saúde mental. E isso tem a ver tanto com sofrimento, tanto quanto com felicidade”, ressalta Caliani, com mais seis dicas para ajudar na melhora sua qualidade de vida e sua saúde mental:

  1. Tenha hobbies terapêuticos;
  2. Se permita ter mais contato com a natureza;
  3. Aprenda a rever prioridades, a mudar o foco e valorizar o que realmente importa, onde você de fato deve direcionar sua energia;
  4. Invista nas pessoas que você consegue ter um vínculo social mais profundo;
  5. Pratique atividade física, tenha uma dieta saudável e cuide da qualidade do sono;
  6. Busque ajuda especializada se for necessário. Pedir ajuda não é sinal de fraqueza!

Dra. Maria Fernanda Caliani, psiquiatra, especialista em terapia cognitiva comportamental

Inscreva-se

Nossos colunistas

456 POSTS

Colunas

Conheça dicas fáceis para uma rotina de hábitos mais saudáveis

Comece 2024 cuidando do seu bem-estar sem sair de...

Que tal começar o ano com hábitos saudáveis?

Dra. Mariela Silveira, diretora médica do Kurotel, fala sobre...

Descubra os poderes do Cranberry para saúde

Neste momento, uma imensa luta está se travando por...

Artigos populares

Jurema Águas Quentes terá atividades monitoradas durante a Páscoa

O destino contará com celebração da missa de Páscoa Jurema...

Bariloche prepara maior barra de chocolate do mundo para a Páscoa

A tradicional Festa Nacional do Chocolate será o principal...

Japan House São Paulo destaca atividades sobre o universo do chá japonês

Durante a segunda quinzena de fevereiro, a Japan House São...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui